• 0800 709 2535

Carnaval pelas regiões do Brasil – Norte

Foto---Carnaval

Na cidade de Macapá (AP), todos os anos é realizado um desfile de escolas de samba no sambódromo da cidade. A festa é conhecida como Carnaval do Meio do Mundo, uma brincadeira com a localização da cidade.  Em Rio Branco (AC) também é só festa, os ritmos são variados, com as marchinhas dos blocos de rua e os trios elétricos que vão do axé ao sertanejo, animando o Folia na Arena.

O Carnaval de Manaus (AM) ocorre todos os anos e entre os principais eventos estão o tradicional desfile de fantasias e o famoso Carnaboi. Além disso, assim como no Rio de Janeiro e São Paulo, há um grande desfile de escolas de samba em uma passarela construída especialmente para o evento no Centro de Convenções de Manaus, conhecido também como sambódromo e tido como o maior do país.

Porto Velho (RO) também tem como carro chefe o desfile das escolas de samba, mostrando mais uma vez como o ritmo é popular na região. Os blocos de rua têm ganhado força e animado as ruas da cidade. O Carnaval em Belém (PA) é uma mistura de desfiles de escolas de samba com blocos afro, uma junção de estilos, formando uma bela festa.

Já em Boa Vista (RR) a folia fica por conta dos blocos carnavalescos e também das escolas de samba, que tomam conta das ruas durante os dias de Carnaval. Em Palmas (TO) a festa é agitada por bailes, concursos de fantasias, blocos de rua, além do desfile de bonecos gigantes e a queima de tambores.

Yes aumenta sua representatividade em associações

No mês de março, Celio Fonseca, Vice-Presidente Executivo da Yes e franqueado de Boa Vista, assumiu importantes cargos em duas associações das quais faz parte. Na Boa Vista Convention & Visitors Bureau – BVRRCVB, Celio assumiu a cadeira de vice-presidente. E no Conselho Municipal de Turismo – COMTUR, passou a ser Conselheiro Titular. Para ele, os cargos são uma maneira de representar a ABLA e os interesses do setor de aluguel de carros na região. Celio considera essencial a associação de todos os franqueados Yes à ABLA e a um sindicato, a fim de defender os interesses do setor e ajudar na tomada de decisões para alavancar os negócios. “O empresário não pode reclamar quando uma decisão não contempla seu empreendimento se ele não participa de sua tomada” conclui.